Patogê Ama 17/11/2020

Negros que fizeram história e ainda fazem

O dia 20 de novembro é o dia da Consciência Negra - também dia da morte de um dos maiores líderes anti escravagistas: Zumbi - e representa a identificação da causa e luta dos ancestrais africanos que desembarcaram no Brasil. Negros que fizeram história e trouxeram consigo muita cultura, costumes e tradições que desenharam o nosso Brasil de hoje.

Apesar da escravidão ter sido abolida, precisamos ter consciência de que ainda há muita coisa a ser mudada no que diz respeito aos direitos da pessoa negra. Sabemos que os negros não são apenas um “apêndice” da sociedade, mas peça fundamental e que faz parte da formação de identidade do Brasil.

Pensando nisso, separamos algumas referências, que todo mundo deveria conhecer (algumas antigas, outras bem atuais):

Maria Firmina dos Reis

Nascida no Maranhão, Maria Firmina dos Reis foi a primeira mulher a passar em um concurso público como professora, a fundar uma escola mista e a escrever um romance "Úrsula" . Publicou também um conto com a temática abolicionista "A Escrava" e reuniria seus poemas na coletânea "Cantos à beira-mar".

Para saber mais sobre ela, é só dar um google aí! ;)

Machado de Assis

Nascido no Rio de Janeiro, foi funcionário público em vários ministérios, enquanto desenvolvia sua atividade literária publicando crônicas e contos nos jornais.

Autor consagrado de "Dom Casmurro" e "Memórias Póstumas de Brás Cubas", entre vários outros, fundou a Academia Brasileira de Letras, e foi seu primeiro presidente.

Um dos vários negros que fizeram história por aqui nem sempre foi "visto como negro". Em julho do ano passado, uma ação corrigiu a cor da pele do autor, em fotos históricas. Por muitas décadas, a cor da pele de Machado foi colocada de lado e gerações de alunos entenderam que o maior nome da literatura brasileira era branco. 

Pixinguinha

Pixinguinha foi o maior flautista brasileiro (além de tocar cavaquinho, piano e saxofone).

Quando compôs "Carinhoso" (com João de Barro) e "Lamentos" (com Vinícius de Moraes), que são considerados alguns dos choros mais famosos, Pixinguinha foi criticado e essas composições foram consideradas como tendo uma inaceitável influência do jazz. Hoje em dia podem ser vistas como avançadas demais para a época. Suas canções até hoje estão no repertório dos grupos de choro, samba e MPB.

[caption id="attachment_10152" align="aligncenter" width="690"] Pixinguinha[/caption]

Ruth de Souza

Ruth de Souza foi a primeira atriz negra a atuar no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e foi a primeira atriz negra a receber uma indicação de melhor atriz com seu papel no filme "Sinhá Moça". Isto ocorreu no Festival Internacional de Veneza, em 1954.

Considerada a primeira-dama negra da dramaturgia brasileira, ela construiu uma exitosa carreira no teatro, cinema e televisão.

[caption id="attachment_10151" align="aligncenter" width="529"] Fonte: Wikipedia | Ruth de Souza[/caption]

Sueli Carneiro

Uma das mulheres negras mais influentes da atualidade no País, Sueli Carneiro é doutora em filosofia pela Universidade de São Paulo e criadora do Geledés Instituto da Mulher Negra, um dos principais órgãos independentes de consciência racial no Brasil.

Autora de dois livros e artigos sobre raça, gênero e direitos humanos publicados no Brasil e no mundo, foi uma das pessoas responsáveis pela defesa constitucional da implantação de cotas raciais nas universidades brasileiras. Atualmente é referência do Movimento Negro nacional e nome incontornável no assunto nos campos políticos e acadêmicos.

Marielle Franco

Marielle Franco foi uma socióloga e política brasileira. Elegeu-se vereadora do Rio de Janeiro na eleição municipal de 2016, com a quinta maior votação. Marielle era feminista, defendia os direitos humanos, e criticava abertamente a Polícia Militar, tendo denunciado vários casos de abuso de autoridade por parte de policiais contra moradores de comunidades carentes.

Ela foi assassinada em 2018 e isso motivou reações nacionais e internacionais, como a organização de diversos protestos em todo o território brasileiro, pedindo por justiça. #mariellepresente

[caption id="attachment_10156" align="aligncenter" width="1171"] Marielle em 2016[/caption]

Dia da Consciência Negra

Para relembrar os feitos históricos da pessoa negra e seus direitos, em 2003, foi incluído no calendário escolar atividades referentes ao Dia da Consciência Negra. Assim, tornou-se obrigatório o ensino sobre a história e cultura afro-brasileiras nas escolas.

Existem muuuuitos negros que fizeram história (e ainda fazem) e que poderiam ser citados aqui (foi difícil selecionar só esses, acreditem!)

Negros que fizeram história

Mas se quiser saber um pouco mais de história, pesquise sobre: Zumbi e Dandara dos Palmares, Abdias do Nascimento, Carolina de Jesus, Aleijadinho, Antonieta de Barros, Grande Otelo, Tereza de Benguela e Aqualtune, entre tantos outros.

E por fim, recomendamos um perfil no Linkedin para ser seguido! Fiquem de olho no Marco Gomes. Ele compartilha de vagas exclusivas para profissionais negros, traz dados sobre desigualdade no Brasil e abre seu feed para histórias de protagonismo negro. Marco estuda também sobre a discriminação racial nos algoritmos.

Fontes: https://www.geledes.org.br/

https://www.ebiografia.com/

Wikipedia

Leia também